Caso mendigo de Planaltina

Caso mendigo de Planaltina

A menos que você seja extraterrestre, você soube do caso do triangulo entre um personal, um mendigo e uma mulher.

Segundo relato do próprio, o morador de rua havia sido chamado pela mulher na rua, que perguntou se ele queria namorar com ela, ele aceitou, afirmou que não tinha dinheiro e foram para o carro dela. Algum tempo depois o esposo, que é personal trainer, presenciou a cena (o ocorrido foi perto da casa do casal) e agrediu o “amante”.

Em seguida o caso bombou nas redes sociais, pois a estória em si é realmente inusitada: uma mulher de boa aparência, bom nível de renda, ter relações com um morador de rua. O esposo traído deu entrevistas, a mãe e por fim o próprio morador de rua.

Este último deu uma primeira entrevista e chamou a atenção sua história triste (como é dramática a historia de todos os sem teto) e também sua eloquência, que na cabeça das pessoas os moradores de rua são todos ignorantes e analfabetos, ou “preguiçosos”.

Entretanto, as entrevistas que no primeiro momento trouxeram reflexão sobre um drama humano da situação de perder tudo e mora na rua, passaram a ser uma exposição da mulher, pois o Sr.  comentar detalhes do que teria ocorrido dentro do veículo de maneira grosseira e desnecessária, porem o mundo dos cliques não perdeu a oportunidade ganhar audiência (na mídia eletrônica e tradicional) com o caso.

A internet ficou recheada de memes, o caso esteve em todos os palcos de stand-up com piadas infames, sites de fofocas, compartilhamento em WhatsApp, etc.

Mas me pergunto, e a mulher? Evidências apontam que Ela teve um surto psicótico e não estaria em suas perfeitas faculdades mentais. Ela teve sua intimidade exposta, virou alvo de comentários sexistas, acusações, xingamentos, enfim, nada anormal em nossa sociedade misógina e machista.

Espero, sinceramente, que este caso saia logo dos holofotes, tal como o caso de partido nazista, ucranianas “fáceis por que são pobres”, etc. para que Ela possa recuperar a sua vida normal e dar a volta por cima, ou talvez que aproveite a fama.